• Caseos

Inicial

Bolinhas na Garganta – Cáseos Amigdalianos – Caseum – Halitose

Os cáseos amigdalianos (cáseos na garganta) apresentam-se como pequenas massas de cor esbranquiçada ou amarelada e de odor muito forte.
O seu nome: caseumderiva do latim, que significa queijo. Os cáseos formam-se em buracos das amígdalas e são associados a uma sensação de desconforto, irritação de garganta, sendo expelidos durante a tosse, espirros ou fala. Os cáseos podem ocorrer em qualquer momento da vida e de forma esporádica.
A composição dos cáseos amigdalianos consiste em células descamadas da boca, proteínas da saliva e restos alimentares que servem de alimento para microorganismos. Quando essas bactérias digerem as proteínas, liberam-se substâncias que têm mau cheiro.
Pesquisas concluíram que os microrganismos presentes nos cáseos são diferentes dos relacionados com a placa bacteriana dentária. Também pôde-se concluir que o substrato nutritivo necessário para a atividade das bactérias dos cáseos não serão os restos de alimentos dispersos pela boca, mas sim matéria em decomposição retida na área posterior da língua.
O controle da formação dos cáseos é importante na prevenção de diversas doenças. As bactérias presentes neste processo estão associadas a outros problemas de saúde, como pneumonia, tuberculose, endocardites, dentre outras.
Existem diversas opções no tratamento dos cáseos. Antigamente removiam-se de forma radical as tonsilas, tema de muita polêmica na comunidade científica dada a função das tonsilas como órgão de defesa importante. O pós-operatório é doloroso, podendo ser necessário mais de um procedimento cirúrgico. Além disso, mesmo após a remoção, na maioria das vezes, o problema do hálito persiste dado a origem multifatorial da halitose.
Este tema levou pesquisadores do hálito a desenvolverem protocolos não cirúrgicos com tratamentos conservadores e muito eficientes. Estudos com pacientes portadores cáseos concluíram que mediante exames precisos de diagnóstico, tratar as causas da formação é a melhor solução. É neste contexto que o especialista em halitose é cada vez mais procurado, evitando os incovenientes e riscos associados a qualquer cirurgia. O profissional investiga quais as causas e elabora o tratamento específico.
De forma genérica, para evitar o aparecimento de cáseos, são sugeridos alguns métodos preventivos que podem ser facilmente seguidos, nomeadamente beber dois litros de água diários, manter uma dieta saudável (frutas, legumes, vegetais folhosos) e boa higiene oral.
Dr. Elson Simões Reis Doutorado em Biologia Oral (USC-Bauru)
Acesso o Instituto do Hálito - www.institutodohalito.com.br
Fonte: http://www.bancodesaude.com.br/user/2970/blog/instituto-halito-bolinhas-na-garganta-caseos-amigdalianos-caseum-halitose
Veja também:
Unidade Brasília – Distrito Federal – Tel: 0800 725 0087
Unidade Ipanema – Rio de Janeiro – RJ – Tel: (21) 3717-1797
Unidade Salvador – Bahia – 0800 725 0087
Unidade Vila Velha – Shopping Praia da Costa – ES – (27) 3229-0607  / (27) 3329-4176
Unidade Vitória Apart Hospital – (27) 3338-6164 / (27) 8846-9327
Unidade Manaus – Amazonas – 0800 725 0087
Unidade Belém – Pará – 0800 725 0087
Unidade São Luis – Maranhão – 0800 725 0087
Cáseos garganta | cáseos amigdalianos | Caseum | têm solução e tratamento no Instituto do Hálito